:: APRESENTAÇÃO
 
»O modelo de escrita praticado na web e as formas de comunicação possíveis são sem dúvida diferentes de qualquer outro meio. Actualmente vivemos ainda um período de adaptação em que ainda “aprendemos” a comunicar na web. Este blog tem como objectivo abordar as questões relacionadas com as formas de comunicação e as novas tecnologias e modelos que vão surgindo e permitindo uma evolução e actualização da webcomunicação.
  :: MEMBROS
 
»João Simão
»Elsa Alves
»João Pedro Pereira
»Aleta Dreves
»Paulo Querido
  :: DESTAQUES
     
[MAR'07] II Jornadas Internacionais de Jornalismo, organizadas pelo Centro de Estudos da Comunicação da Universidade Fernando Pessoa e subordinadas ao tema genérico "Porquê Estudar o Jornalismo?".
» SAIBA MAIS AQUI
  :: ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
   
  :: ÚLTIMOS ARTIGOS
»COMUNICAÇÃO CIDADANIA E PROXIMIDADE
»WEB SOCIAL reflexo da WEB 2.0
»Creative Commons
»JornalismoPortoNet: O futuro do jornalismo de prec...
»Webjornalismo nos jornais on-line portugueses [ANÁ...
»Potencial de interacção: comparativo de sites noti...
»Webjornalismo nos jornais on-line portugueses
»3º Encontro Nacional sobre Weblogs com novas datas...
»Um estudo sobre o Google News
»Blogs do PÚBLICO
 
  :: LINKS
 
 
  :: LIVROS
  :: ARQUIVOS
  » Abril 2006
» Maio 2006
» Junho 2006
» Julho 2006
» Agosto 2006
» Setembro 2006
» Outubro 2006
» Novembro 2006
 
  :: FERRAMENTAS

» RSS
» PODCAST

 

» Canais de RSS
» Canais de PODCAST
» Blogger
» Biblioteca de Artigos

on-line | visitantes

  :: E-MAIL
 
 

segunda-feira, maio 29, 2006

WEB 2.0 OU O ERRO DO “VELHO DO RESTELO”




A figura que Camões imortalizou nos “Lusíadas” representa todas as vozes que se levantam contra o progresso enfatizando os seus perigos. Com a web não foi diferente e muitos no passado e ainda hoje vêm-na como algo muito mau que faz com que quem a use deixe de ter vida e se dedique apenas ao virtual. Estava assim posta em perigo a sociabilidade.

A designação de Web 2.0 não é inocente e segue toda a terminologia usada para actualizações (update) e evoluções (upgrade) de programas informáticos. Quer isto dizer que a web 2.0 trata-se de uma evolução da web 1.0. Convém então ver o que é a web 2.0, e qual a evolução que o uso da Internet teve. Se os “Velhos do Restelo” tinham razão ou se pelo contrário estavam enganados.

Uma das principais e primeiras características da “Nova Web” ou Web 2.0 é o facto de que os usuários produzem conteúdo. A mudança que os blogs introduziram foi mais profunda do que há primeira vista possa parecer. Até então a produção de conteúdo na web está reservada a uns poucos que dominavam as ferramentas necessárias de criação e actualização de uma página. Assim a maior fatia dos webnautas tinha o papel passivo de consumir conteúdo e informação. Os blogs e mais tarde a tecnologia Wiki vieram permitir uma maior democratização da web no que se refere à produção de conteúdo.

Uma maior facilidade de produzir conteúdo e de o colocar on-line gerou várias alterações:

  1. A primeira foi a capacidade critica e activa das pessoas que agora têm nos blogs a sua forma de comunicar para o mundo. Havendo como consequência mais leitura e um espírito mais critico em lugar da passividade que a falta de uma relação dialógica provocava.
  2. Criação de comunidades baseadas não na proximidade física mas nos interesses comuns. A facilidade de publicar originou comunidades que se juntam em torno de um interesse ou tema comum o que leva depois à existência de relações interpessoais que fortalecem o sentido de comunidade.
  3. Quantas mais pessoas envolvidas na produção de conteúdo de um site, seja ele blog ou Wiki, maior é qualidade do serviço. Quantos mais membros maior é a actualização, a actualidade, a confirmação e validação dos conteúdos. Quase por relação directa maiores são também o números de webnautas a visitar a página, que em certos casos, também eles mesmo não sendo membros podem sugerir e/ou enviar informação e conteúdos.

Desta forma com a facilidade de acesso à produção de conteúdo este ganha uma maior importância. De tal forma que se liberta da sua plataforma inicial e se disponibiliza em diferentes plataformas. O exemplo mais fácil de perceber é o funcionamento dos feeds de RSS. Através dos feeds RSS o conteúdo dos blogs, por exemplo, pode ser usado em agregadores ou noutros blogs. O mesmo se passa com outro tipo de conteúdos que pode ser misturado e aproveitado para diferentes tipos de plataformas.

Há ainda a registar uma nova forma de classificação da informação. Se no nosso disco rígido organizamos a informação dentro de pastas e sub-pastas, ou seja, segundo categorias e sub categorias (taxsonomia) a Web 2.0 permite uma classificação menos linear e mais semelhante ao nosso pensamento. Através de tags que podemos traduzir por palavras-chave ou etiquetas, podemos colocar um link em mais que uma categoria simultaneamente (tagsonomia).

Outra das grandes inovações da Web 2.0 trata-se de ser possível aceder e usar aplicações on-line criando ambientes mais semelhantes ao ambiente de trabalho. Desta forma torna-se mais simples utilizar sites que requerem do utilizador a tarefa de preencher e actualizar a sua própria informação.

Esta simplicidade e rapidez potenciaram o surgir das redes sociais. As redes sociais são sites apoiados em bases de dados que permitem manter informação sobre cada pessoa actualizada pelo próprio. Permitem ainda ligações entre conhecidos e amigos virtuais ou reais. A utilidade que os utilizadores lhe reconhecem passa pelo juntar amigos separados pela distância. Manter o contacto, mostrar o que de novo se passa, e conhecer pessoas novas.

Um perfil completo numa rede social é um pouco a identidade de cada um. Coloca à disposição de todos imagens suas, os seus interesses, os desejos, etc. As medias de segurança são definidas pelos utilizadores que apenas disponibilizam os sues contactos se assim o desejarem. As formas de contactos promovidas pelos sites são seguras podendo apenas ser acedidas directamente na base de dados. Para os utilizadores destas plataformas elas são formas de extensão para a web das suas redes de amizades podendo assim manter o contacto com todos os amigos.

Ao contrário do que os “Velhos do Restelo” vaticinavam a web segue um rumo em que une cada vez mais as pessoas e as matem mais em contacto. Estar on-line hoje significa estar contactável. A web funciona assim como uma extensão da vida real e não como um mundo a parte completamente virtual.




« voltar |


« voltar |

Links para este artigo

Criar uma hiperligação


« voltar
 
Alguns direitos reservados
» template by João Simão | simaocc on-line ©
simaocc on-line Blogger